Sítios Ramsar: a proteção às nossas áreas úmidas

Printer-friendly version


Os Sítios Ramsar, ou zonas úmidas, são definidos como toda extensão de pântanos, charcos e turfas, ou superfícies cobertas de água, de regime natural ou artificial, permanentes ou temporárias, contendo água parada ou corrente, doce, salobra ou salgada.

Áreas marinhas com profundidade de até seis metros, em situação de maré baixa, também são consideradas zonas úmidas. Estas áreas possuem um papel importante fornecendo serviços ecológicos fundamentais como regular o regime hídrico e como fonte de biodiversidade além do seu papel de caráter econômico, cultural e recreativo.

Os integrantes do Comitê Nacional de Zonas Úmidas aprovaram, no dia 15/05, durante sua 13ª reunião, a criação de novos sítios Ramsar em sete Unidades de Conservação. As áreas propostas ficam nas Reservas Biológicas do Atol das Rocas, e do Guaporé, na Área de Proteção Ambiental e no Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha, na Estação Ecológica do Taim, na Área de Proteção Ambiental de Guaratuba, e nos Parques Nacionais do Viruá, e da Ilha Grande. Depois de aprovados, os novos sítios somam-se aos outros 12 já instituídos no Brasil pelos participantes da Convenção de Ramsar, que deve se reunir no Uruguai em meados de 2015.

Veja mais informações sobre as Unidades de Conservação Brasileiras que já são sítios Ramsar e os novos sítios aprovados em nosso site http://uc.socioambiental.org