Tudo combinado e nada resolvido

COP-21 entra na reta final com proposta de texto que mantém opções para um acordo ambicioso, mas países repetem velhas posições e ameaçam avanço para conseguir barganhas de última hora
Printer-friendly version


Em genética, cruzamentos mal feitos levam ao que se chama de “reversão ao estado selvagem”: uma linhagem de planta ou animal em domesticação volta, subitamente, a mostrar características de seus ancestrais. Foi o que se viu na noite desta quarta-feira na COP21, a conferência do clima de Paris: após avanços políticos extraordinários obtidos na segunda e na terça (extraordinários, claro, apenas segundo a métrica peculiar das negociações da ONU), o antepenúltimo dia de COP terminou com uma longa sessão de descarrego na plenária. Ali, cada país manifestou sua insatisfação com a versão do texto de consenso político apresentado horas antes pelo presidente, Laurent Fabius.

Em suas intervenções, os países repetiram praticamente as mesmas posições com as quais haviam chegado a Paris, em especial sobre o tema mais polêmico do encontro, a chamada diferenciação entre países desenvolvidos e em desenvolvimento. As negociações avançaram pela madrugada de quinta-feira e uma nova versão do texto era esperada para esta tarde. Leia mais no site do Observatório do Clima.

Claudio Angelo do Observatório do Clima
ISA
Imagens: