Comissão Nacional da Verdade apura violação de direitos contra indígenas do Mato Grosso do Sul

Versão para impressão

Em 21 de fevereiro último, a Comissão Nacional da Verdade (CNV), que apura violação de direitos humanos no período de 1946 a 1988, realizou audiência em Dourados (MS), na Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). O foco foi a violação de direitos dos povos indígenas do Mato Grosso do Sul.

Na presença da psicanalista e membro da CNV Maria Rita Kehl, do procurador da República Marco Antonio Delfino de Almeida e dos pesquisadores Marcelo Zelic, Spensy Pimentel e Jorge Eremites de Oliveira, foram ouvidos indígenas de cinco diferentes comunidades guarani ñandeva e guarani kaiowá de Mato Grosso do Sul. Eles falaram sobre as violações de direitos indígenas ocorridas entre 1946 e 1988, marcadas por episódios de violência durante a colonização do estado, como assassinatos, expulsão de territórios tradicionais e confinamento em pequenas reservas.

Especialistas contextualizaram e conduziram os depoimentos, já que os indígenas têm dificuldades com a língua portuguesa.

Assista aqui ao vídeo da audiência, que foi aberta com os indígenas entoando um canto tradicional chamado canto para fazer luz.

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.