Nota à imprensa sobre ataques de Bolsonaro às Terras Indígenas

Versão para impressão

ISA condena falas de presidente contra direitos e terras indígenas - numa reunião que deveria discutir o combate ao desmatamento e às queimadas

O Instituto Socioambiental (ISA) lamenta as declarações cínicas do presidente Jair Bolsonaro, em reunião com os governadores da Amazônia, atribuindo aos povos indígenas e às suas terras responsabilidades pelo escândalo florestal em curso, que choca a humanidade. Todos sabem – e ele também – que o desmatamento e o fogo são causados por frentes predatórias que, nesse momento, atuam livres de qualquer constrangimento por parte do seu governo e incentivados por declarações suas, como esta, e de assessores seus.

A demarcação das terras indígenas e a titulação de quilombos são mandamentos da Constituição que o presidente jurou cumprir e a sua omissão deliberada constitui crime de responsabilidade.

Como é seu costume, o presidente lança cortina de fumaça ao misturar entidades filantrópicas que prestam serviços de assistência à saúde aos índios com organizações de apoio a direitos e de defesa do meio ambiente. Cabe ao seu governo prestar serviços eficientes de saúde, entre outros, a todos os segmentos carentes da sociedade, indígenas ou não, em vez de degradá-los.

Imagens: 

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.