O vaivém jurídico e as ocupações dos canteiros de Belo Monte, no Rio Xingu, em 2013

Versão para impressão

Ao longo do ano de 2013, as obras da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu, no Pará, sofreram algumas paralisações. Em maio, aconteceu a segunda paralisação do ano, quando indígenas de diversas etnias - Munduruku, Juruna, Kaiapó, Xipaya, Kuruaya, Asurini, Parakanã, Arara, pescadores e ribeirinhos ocuparam o canteiro onde está sendo construída a casa de força principal da usina de Belo Monte, a 50 km da cidade de
Altamira-PA, exigindo ser ouvidos pelo governo. A última ocupação se deu em setembro. O ISA acaba de publicar a revista De Olho em Belo Monte, 2013 no pico da contradição, reunindo as reportagens feitas durante o ano por suas equipes. Confira aqui.

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.