Ambiente com gente dentro

Versão para impressão

Amazônia, Cerrado, Pampa, Mata Atlântica, Caatinga, Pantanal. Esses são os seis principais biomas brasileiros: ambientes de grande diversidade de vegetação e de espécies animais! O que pouca gente sabe é que, em alguns casos, essa grande diversidade foi produzida pela presença do ser humano - em especial, dos povos indígenas.

Os povos que habitam - e a habitaram - a região amazônica, por exemplo, sempre modificaram a floresta tropical sem destruí-la. Muitas riquezas da Amazônia surgiram de técnicas indígenas, ao longo dos séculos de presença na Amazônia: a castanheira, a pupunha, o cacau, o babaçu, a mandioca, a borracha.

E também o solo! Pelo menos 12% da superfície total do solo amazônico teve suas características transformadas pelo homem e, graças aos modos indígenas de cuidar da terra, a Amazônia tem um tipo muito fértil e único de solo: a Terra Preta de Índio.

É por isso que muita gente acha que os povos indígenas ajudam a conservar o meio ambiente; isso acontece porque eles conhecem a fundo os ambientes em que vivem! Os povos indígenas ajudam a ampliar a diversidade da fauna e da flora local porque têm formas únicas de viver e ocupar um lugar. E isso é importante para eles e para todos nós!

Explore a nova seção "Ambiente com gente dentro", no site Povos Indígenas no Brasil Mirim, e descubra um pouco mais sobre esses modos de vida!

Agrobiodiversidade: gente que planta futuro

No último dia 5 de junho celebramos o Dia Internacional do Meio Ambiente. Para comemorar, o ISA preparou um mês inteiro de conteúdos especiais sobre um tema importantíssimo para o futuro do planeta e dos povos: a agrobiodiversidade. O papel dos povos indígenas e populações tradicionais na manutenção da diversidade de espécies cultivadas é a garantia, não só de seu sustento, mas do direito de todos nós a um meio ambiente equilibrado.

Acompanhe a página do ISA no Facebook, no Instagram e o nosso conteúdo especial sobre Agrobiodiversidade.

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.