Em nota, Univaja denuncia assassinato de colaborador da Funai e exige esclarecimento

Versão para impressão

Coordenação das organizações indígenas do Vale do Javari ressalta importância do trabalho de Maxciel Pereira dos Santos, morto na sexta-feira (6/9), em Tabatinga (AM)) e pede atuação efetiva da Polícia

A Coordenação da organização Indígena União dos Povos Indígenas do Vale do Javari – UNIVAJA, em nome dos povos Marubo, Mayoruna (Matsés), Matis, Kanamary, Kulina (Pano), Korubo e Tsohom-Djapá, publicou uma nota pública em que denuncia o assassinato do colaborador da Fundação Nacional do Índio Maxciel Pereira dos Santos, que ocorreu na sexta-feira (6/9), em Tabatinga (AM).

Na nota, a organização afirma que a região sofre com um crescente de invasões e que, desde o início do ano, a Base de Vigilância Ituí, uma das bases de atuação da Funai na área, já sofreu quatro ataques com arma de fogo.

A Terra Indígena do Vale do Javari abriga 16 registros de povos indígenas em isolamento voluntário, e sete povos indígenas contatados.

Leia a nota aqui.

Imagens: 
Arquivo: 

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.