Madeireiros voltam a ameaçar Gavião Pykopjê

Versão para impressão

No último dia 15, os índios Gavião Pykopjê apreenderam quatro caminhões carregados de madeira e um trator de dentro da Terra Indígena Governador (MA).

Em um contexto de desmatamento agressivo, as áreas protegidas, únicas áreas de floresta preservadas do estado do Maranhão, segundo o IBGE, sofrem com o tráfico ilegal de madeira. Os índios são obrigados a se defender com ações diretas, ocupando a estrada municipal MA-122 que atravessa a reserva e impedindo que a madeira seja retirada.

No dia 25 de Janeiro, lideranças indígenas se reuniram com o deputado federal Douglas Fernandes (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara e denunciaram a situação de insegurança que se agravou na última semana, devido a represálias e ameaças diretas por parte madeireiros às lideranças Gavião.

Segundo o Centro de Trabalho Indigenista, a situação dos índios Gavião Pykopjê é especialmente grave, considerando que as áreas de pesca e caça fundamentais para a sustentabilidade das comunidades foram excluídas da TI quando demarcada em 1982. Devido às reivindicações dos índios, em 2007 a Funai abriu um GT para revisão dos limites territoriais, processo esse que já sofreu tentativas interrupção pela própria prefeitura de Amarante, no Maranhão. Leia mais no artigo do CTI "Os Gavião Pykobjê e as ameaças a seu Território: os madeireiros e a estrada".

Acompanhe na cronologia abaixo os principais episódios do conflito do povo Gavião Pykopjê com os madeireiros:

2013

  • 13/01: Lideranças Gavião Pykopjê apreendem dentro da TI Governador quatro caminhões e um trator carregados de madeira; indígenas solicitam a presença da Funai e da Polícia Federal.
  • 15/01:
    • Polícia Federal junto com representantes da Funai e do Ibama entram na terra e confiscam os veículos.
    • Madeireiros, em protesto, ocupam a estrada que dá acesso a terra indígena e queimam pneus impedindo a saída dos agentes com os veículos confiscados. Uma viatura da PF foi apedrejada.
    • Índios temem retaliações por parte dos madeireiros devido as constantes ameaças.
  • 16/01: Durante a madrugada, agentes federais deixam a reserva.
  • 18/01: Polícia Federal retorna a TI em 20 viaturas e retiram os quatro caminhões e o trator.
  • 19/01: Madeireiros cortam o fornecimento de energia elétrica para a Aldeia Nova, uma das 6 aldeias da TI.
  • 23/01: Segundo a Agência Brasil, os indígenas interromperam o tráfego na MA-122 após às 18 horas; medida tem como objetivo limitar o acesso ao interior da reserva, evitando novas invasões.
  • 25/01: Em reunião com o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, lideranças solicitam providências de caráter emergencial; indígenas sofrem ameaças constantes e temem mais represálias.

2012

  • 21/05: Audiência Pública na Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa debate demarcação das TIs Governador, Awá, Porquinhos e Bacurizinho.
  • 31/05: Ministro Ricardo Lewandowski arquivou a Reclamação Judicial nº13769/2010 em que o município de Amarante do Maranhão pretendia a declaração de nulidade de duas portarias da Funai que determinavam a formação de grupos técnicos para revisão dos limites da TI Governador.

2011

  • 29/11: Segundo dados do IBGE, só restam 31% das áreas de floresta densa e 0,09% da floresta aberta no estado do Maranhão; a soja ocupou o cerrado e as florestas estão restritas as áreas protegidas.
  • 20/05: Cimi denuncia as constantes ameaças dos madeireiros aos índios Gavião e a ausência de medidas efetivas por parte do governo federal.

2010

  • 09/03: 40 madeireiros armados fizeram um funcionário da Funai como refém e invadiram a aldeia Rubinácia na TI Governador para recuperarem os três caminhões que haviam sido apreendidos pelo Ibama; dois madeireiros foram presos.
  • 12/03: MPF encaminha ofício à Polícia Federal determinando a investigação do caso.
  • 06/10: Funai publica em portaria Grupo de Trabalho para realizar estudos complementares de modo a ampliar a TI Governador; os Gavião Pykopjê reivindicam a revisão dos limites da terra, que quando demarcada, não incorporou grande parte dos territórios tradicionais deixando áreas fundamentais de pesca e caça de fora.

2008

  • 20/06: Funai constitui Grupo Técnico com o objetivo de realizar estudos de natureza etno-histórica, antropológica e ambiental necessários à Revisão de Limites da TI Governador de ocupação tradicional Gavião-Pykobjê.

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.