Reserva Biológica Nascentes Serra do Cachimbo comemora 9 anos de sua criação

Versão para impressão

Criada em 23 de maio de 2005, a Reserva Biológica Nascentes Serra do Cachimbo completa neste mês 9 anos. Com uma área aproximada de de 342.477 hectares têm grande parte de sua relevância no número de nascentes perenes que estão em seu território e que formam os rios das Bacias do Xingu e Tapajós.

Localizada no sul do Pará, a unidade de conservação está na transição dos biomas Cerrado e Amazônia. Através dos estudos feitos pelo plano de manejo, aprovado em 2009, importantes espécies raras e endêmicas foram documentadas.

No dia 22 de abril de 2014 houve uma audiência pública sobre o Projeto de Lei do Senado (PLS) 258/2009 na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA). O projeto de lei propõe a divisão da Reserva Biológica em duas partes: Parque Nacional Nascentes da Serra do Cachimbo e Área de Proteção Ambiental (APA) Vale do XV.

A discussão esta em vigor, pois a Reserva Biológica é uma unidade de conservação de proteção integral para fins de pesquisa e conservação, não permitindo interferências humanas ou modificações ambientais, enquanto nas Áreas de Proteção Ambiental a ocupação humana e atividades econômicas sustentáveis são permitidas. Assim como dezenas de outras Unidades de Conservação no Brasil, a Reserva Biológia ainda não teve sua regularização fundiária efetuada, ou seja, sua gestão inclui lidar com a presença de produtores rurais assentados principalmente ao longo da BR- 163.

O ICMBio, gestor das Unidades de Conservação federais, posicionou-se contrario ao projeto de lei na audiência por considerar que pela composição de solo, topografia e suscetibilidade à erosão as áreas da Reserva da Serra do Cachimbo, precisam ser protegidas, sendo um erro permitir ali qualquer tipo de atividade econômica, devendo haver indenização e realocação dos moradores.

Acompanhe a tramitação do Projeto de Lei e saiba mais sobre a Reserva Biológica Nascentes da Serra do Caximbo.

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.