Santa Isabel do Rio Negro (AM) deverá criar departamento de educação escolar indígena

Versão para impressão

A criação de um departamento específico de educação escolar indígena foi um dos pontos levantados durante reunião interinstitucional realizada na sede do município de Santa Isabel do Rio Negro, em 15 de julho último. Representantes do governo estadual e municipal, sociedade civil organizada e organizações não governamentais participaram do encontro com o objetivo de propor ações que efetivem a promoção da educação escolar indígena no município. Estiveram presentes o vice-prefeito, Cornélio, os secretários municipais de educação, João Lopes, do esporte, Joares, e de controle interno, Regina Flávia, professores Yanomami, representantes da Secretaria e Conselho Estadual de Educação do Amazonas, diretores e o coordenador de educação escolar indígena da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (Foirn), representantes da Associação das Comunidades Indígenas do Médio Rio Negro (Acimrn), do ISA e das organizações Rios Profundos e Secoya.

O prefeito de Santa Isabel do Rio Negro, Mariolino Siqueira, embora tenha confirmado presença, não compareceu. João Lopes, secretário municipal de educação, comprometeu-se a repassar ao prefeito os principais pontos abordados na reunião, a saber: o município deve criar um departamento de educação escolar indígena com a escolha de um coordenador com um perfil adequado ao cargo; o município deve reconhecer as escolas indígenas a partir da criação de decretos dessas escolas; deve fazer funcionar o conselho municipal de educação; deve reconhecer a diversidade étnica da região, respeitando as especificidades de cada escola indígena; deve contratar e valorizar professores indígenas como profissionais; e, finalmente, deve viabilizar a realização de oficinas para a elaboração de projetos políticos pedagógicos nas comunidades.

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.