Yanomami lançam livros que fortalecem suas línguas

Versão para impressão
Ana Maria Machado

Professores e pesquisadores yanomami acabam de lançar seis novos livros, ampliando a circulação de seus conhecimentos tradicionais nas aldeias e fortalecendo a circulação da escrita nas línguas yanomae, yanomama e sanöma

Os Yanomami receberam em suas aldeias novos materiais de leitura nas línguas maternas. Os seis livros que acabam de ser lançados são fruto de anos de produção e pesquisa dos pesquisadores e professores indígenas das regiões de Papiu, Missão Catrimani, Awaris e Demini, em parceria com assessores e pesquisadores não indígenas. Os livros foram produzidos no âmbito da ação Saberes Indígenas nas Escolas Yanomami, resultado da parceria entre a Faculdade de Educação da UFMG; Instituto Socioambiental, Diocese de Roraima, Projeto de Documentação do Yanomama do Papiu e Hutukara Associação Yanomami, publicados pela editora Fino Traço.



Ɨnaha ipa pata thëpë kuama 1 é o primeiro produto de 10 anos de trabalho dos pesquisadores indígenas do Papiu e assessores não indígenas, acerca dos mitos e histórias narrados por um velho conhecedor das histórias Yanomami na região, que pediu aos jovens que registrassem suas histórias antes que elas desaparecessem. Aparentemente este é o primeiro livro que é escrito 100 % em língua Yanomami.

Orupë thëã foi produzido por professores da região Missão Catrimani e assessores não indígenas, em língua Yanomae. Reúne descrições e ilustrações de cobras peçonhentas ou perigosas - incluindo cobras míticas - e cobras inofensivas. Os autores descrevem as principais características desses animais e seus hábitos.

Yuripë sikɨ, também produzido pelos professores da região Missão Catrimani e assessores, segue a mesma linha do livro das cobras, apresentando 56 peixes encontrados na região, bem como a descrição de suas características e habitat. Bilíngue, a publicação está escrita em yanomae e foi traduzida para o português.

Ỹɨpɨmuwi thë ã - palavras sobre menstruação - surgiu a partir de uma entrevista de Ehuana Yanomami a uma senhora mais velha, Luana, ambas da região do Demini. Os rituais da primeira menstruação são o fio condutor que aborda outros assuntos de uma perspectiva feminina como gravidez, parto, casamento, epidemias, mudanças geracionais. Este talvez seja o primeiro livro Yanomami de autoria majoritariamente feminina.

Tä saöka wi ĩ tä waheta (volume 1 vogais/ volume 2 consoantes) tem como objetivo dar suporte para o processo de alfabetização em língua sanöma, visando ampliar o processo de alfabetização na região de Awaris, para que os indígenas possam ter acesso ao conteúdo das outras publicações que vêm sendo produzidas pelos pesquisadores indígenas na região (saiba mais).

As publicações foram lançadas no início de outubro em um seminário na Missão Catrimani, com a presença de quase todos autores, da equipe da ação Saberes Indígenas e organizações realizadoras, com a participação de alguns Yanomami da região. Na ocasião foram discutidos temas como uso do material e perspectivas futuras do trabalho de pesquisa e produção de livros de autoria dos Yanomami.

Os livros fazem parte da coleção editorial Urihi anɨ thëpëã pouwi, que apresenta publicações produzidas em conjunto por yanomami e colaboradores não indígenas, e que abordam temas sobre xamanismo, medicina tradicional, conhecimentos sanöma sobre os cogumelos, e peixes, moluscos e mariscos da região de Awaris. Para 2018 está previsto o lançamento de outros seis livros, quatro deles com histórias dos antigos e livros de alfabetização na língua yanomae e yanomama. Confira na galeria as capas das publicações.

Imagens: 

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.