Quilombo de Mandira (SP) tem área reconhecida pelo Incra

Versão para impressão
Do Incra-SP

Cerca de 1.200 hectares foram reconhecidos e declarados pelo Incra como terras da Comunidade Remanescente de Quilombo Mandira, no município de Cananéia, no Vale do Ribeira, em São Paulo. A medida, publicada nesta quinta-feira (8), no Diário Oficial da União, beneficia 24 famílias quilombolas - 82 pessoas - que passarão a ter mais segurança jurídica em relação às áreas que ocupam.

Conforme estudos antropológicos analisados pelo Incra/SP, ancestrais dos quilombolas ocuparam a área pelo menos desde 1868. Na segunda metade do século XIX, o patriarca da família Francisco Mandira recebeu o “Sítio Mandira” a título de doação. Francisco teria sido fruto da relação entre o senhor de escravos Antônio Florêncio de Andrade - homem de posses e designificativa influência política na Vila de Cananéia – e uma de suas escravas. Esse sítio foi dividido entre seus dois filhos e a área do Quilombo de Mandira corresponde aproximadamente às terras que foram repassadas a um deles. Leia mais

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.