Diauarum será a sede da conclusão da 1ª Formação em Gestão Territorial no Xingu

Programa: 
Versão para impressão

Foram três anos de diálogo e produção de conteúdos sobre os desafios da gestão do território onde vivem as 16 etnias do Parque Indígena do Xingu (PIX). Os 32 jovens xinguanos já estão prontos para apresentar pesquisas desenvolvidas nos seis módulos do curso

Entre os dias 8 e 24 de outubro, acontece a conclusão do processo de Formação Território e Serviços Socioambientais no Xingu. A iniciativa foi conduzida pelo ISA e a Associação Terra Indígena do Xingu (Atix) e foi dividida em seis módulos. O objetivo é, por meio de um processo de discussão coletiva, fortalecer as percepções dos jovens na relação entre o universo indígena e não indígena e na construção de políticas para viabilizar a gestão do Parque Indígena Xingu (PIX). A conclusão da formação será no Coordenação Técnica Local Diauarum, no PIX.

Nesse sentido, a formação envolveu estratégias para ampliar as possibilidades de diálogo entre os povos do PIX e os não indígenas, viabilizando essa construção coletiva de políticas. A formação buscou também alertar os jovens para a necessidade de se tornarem melhores mediadores e tradutores do mundo indígena.

Os 32 indígenas que participaram de todo o processo educativo irão apresentar os trabalhos de conclusão de curso (TCC) com foco na prática de planejamento e uso da cartografia participativa para a gestão do território. Os participantes também desenvolveram pesquisas sobre quarto grandes eixos: a origem do mundo e ocupação territorial; conhecimento e cultura; manejo de recursos naturais; e organização sociopolítica.

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.