Fique sabendo

O "Fique sabendo" é um boletim semanal, editado pelo Programa de Monitoramento de Áreas Protegidas do ISA, sobre a situação atual dos povos indígenas, quilombolas, populações tradicionais e o meio ambiente no Brasil. Seu objetivo é destacar temas e eventos importantes que não tiveram grande circulação na mídia nacional. É feito com base em informações publicadas em mais de cem fontes de notícias, além dos diários oficiais da União e dos estados da Amazônia Legal.

Fique sabendo o que aconteceu entre 18 e 24 de maio de 2018

A semana foi marcada pela pressão do ministro Moreira Franco para que a linha de transmissão de energia Manaus-Boa Vista, o linhão de Tucuruí, passe pelo território dos Waimiri Atroari ignorando o direito de consulta prévia dos indígenas. O Ministério de Minas e Energia está tentando fazer valer uma interpretação jurídica que permita driblar as oitivas aos índios, enquadrando o linhão na categoria de obra de “interesse da Política de Defesa Nacional”

Fique sabendo o que aconteceu entre 11 e 17 de maio

Além da aprovação pelo ICMBio do plano de visitação ao Pico da Neblina (Yaripo), área de dupla afetação pelo Parque Nacional Pico da Neblina e a Terra Indígena Yanomami, a semana registrou ainda operação do Ibama que fechou madeireiras e identificou desmatamento ilegal na TI Kaxarari na divisa do Acre, Rondônia e Amazonas, e o decreto de Temer que viabiliza um quilombo na Paraíba. Leia mais

Fique sabendo o que aconteceu entre 20 e 26 de abril de 2018

Neste período aconteceu o Acampamento Terra Livre (ATL), em Brasília, com a participação de cerca de três mil índios. Eles vieram de todo o Brasil para reivindicar a continuidade das demarcações das Terras Indígenas, protestar contra Parecer da AGU que praticamente impede o reconhecimento de suas terras e exigir que sejam consultados em relação a empreendimentos que os afetem

Fique sabendo o que aconteceu entre 30 de março e 5 de abril de 2018

Entre os acontecimentos que marcaram a semana estão o avião pego em flagrante despejando agrotóxicos na Terra Indígena Marãwatséde (MT), dos Xavante, e a denúncia de mulheres, caciques e associações Munduruku sobre o garimpo que está detonando a Terra Indígena Munduruku, no Pará. Veja mais

Fique sabendo o que aconteceu entre 16 e 22 de março de 2018

A semana foi marcada especialmente pelo anúncio de medidas por parte do governo federal no 8º Fórum Nacional da Água que se realizou em Brasília: criação do maior sítio de áreas úmidas do mundo, no Rio Negro, no noroeste amazônico,com 11,2 milhões de hectares (Ramsar)e a ampliação da área protegida marinha do Brasil em mais de 16 vezes, pulando de 1,5% para 25% da zona costeira-marinha. Mas áreas importantes ficaram de fora Saiba mais.

Páginas