Campanha defende demarcação de Terras Indígenas Guarani da Grande São Paulo

Esta notícia está associada ao Programa: 
Dois mil guarani da Grande São Paulo aguardam decisão que está nas mãos de José Eduardo Cardozo
Versão para impressão

A Comissão Guarani Yvyrupa está circulando uma petição para pedir que o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, assine as portarias de demarcação das Terras Indígenas (TIs) Tenondé Porã, no extremo sul da Grande São Paulo, e Jaraguá, ao norte da metrópole. No dia 17/4, no Largo do Pátio do Colégio Anchieta, no centro de São Paulo, será lançada a campanha "Resistência Guarani SP", para manter a mobilização em defesa da demarcação das duas áreas (veja o evento no Facebook).

A petição será encaminhada ao ministério (assine aqui), junto com uma caneta com trançado tradicional guarani e outros presentes produzidos pela comunidade (veja abaixo vídeo da campanha). O texto da petição avisa que “para cada assinatura de um apoiador que conseguirmos, compraremos mais uma caneta, que também será enviada para o gabinete do Sr. Ministro’”.

Hoje, mais de dois mil guarani vivem em três pequenas aldeias, que não chegam a 54 hectares, somadas, na Grande São Paulo. As três áreas diminutas apresentam a maior concentração demográfica de TIs do País e são casos emblemáticos de desrespeito aos direitos indígenas (veja mapa). Há mais de 30 anos, as comunidades aguardam o reconhecimento das duas TIs.

A mobilização é apoiada por várias organizações indigenistas e da sociedade civil, entre elas o ISA, Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), Centro de Trabalho Indígenista (CTI), Movimento de Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e Movimento Passe Livre.

Para saber mais, acesse a página da campanha.

ISA

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.