Campanha #ForaGarimpoForaCovid chega a 400 mil assinaturas

Esta notícia está associada ao Programa: 
"Agradecemos a todos que assinaram a petição e estão ao nosso lado, mas precisamos aumentar a pressão para que as autoridades ajam e cumpram o que está previsto em lei", disse o líder indígena Maurício Ye’kwana
Versão para impressão

A campanha #ForaGarimpoForaCovid, liderada pelo Fórum de Lideranças Yanomami e Ye'kwana, chega à marca de 400 mil assinaturas, com quase quatro meses de mobilização pela retirada dos milhares de garimpeiros presentes na Terra Indígena Yanomami.



Apesar do apoio popular e do avanço da pandemia dentro das aldeias, o Governo Federal não realizou nenhuma ação efetiva para expulsar os invasores do território. "Agradecemos a todos que assinaram a petição e estão ao nosso lado, mas precisamos aumentar a pressão para que as autoridades ajam e cumpram o que está previsto em lei", pediu Maurício Ye'kwana, liderança da TI Yanomami e um dos diretores da Hutukara Associação Yanomami.

Os cerca de 27 mil Yanomami e Ye'kwana que vivem na Terra Indígena Yanomami estão gravemente ameaçados pela Covid-19, levada pelos milhares de garimpeiros que estão entrando e saindo do território, disseminando outras doenças, devastando a floresta e poluindo rios e igarapés com mercúrio.

A contaminação pelo novo coronavírus se alastrou, até o momento, por 13 das 37 sub-regiões da Terra Indígena Yanomami, conforme levantamento feito pela Rede Pró - Yanomami e Ye'kwana, que estima que 10.800 indígenas estejam expostos à Covid-19. Além disso, a rede de pesquisadores aponta que 17 pessoas já morreram por conta da doença.

“Em nome do Fórum de Lideranças Yanomami e Ye'kwana, eu agradeço a todas as pessoas que assinaram a petição da campanha e quero dizer que a nossa luta continua. Vamos continuar na batalha até a saída dos invasores de dentro da Terra Yanomami”, disse.

Veja o vídeo:

O líder indígena pede ainda que mais pessoas possam se unir a campanha e continuar assinando a petição, cuja meta é de 500 mil assinaturas. “Hoje, estamos mais uma vez sob risco de xawara (doença) trazida pelos não indígenas e para isso precisamos unir forças”, finaliza Maurício.

A petição será entregue a representantes do Governo Federal e do Congresso em outubro, para reforçar a pressão por medidas concretas da parte das autoridades. Assine e compartilhe a petição entre seus contatos e fortaleça a luta Yanomami. Desintrusão já!

Evilene Paixão
ISA
Imagens: 

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.