Foirn entrega documento a candidato a vice-governador do Amazonas

Esta notícia está associada ao Programa: 
O documento solicita mais diálogo com governo estadual e foi entregue nesta quinta-feira (20/7) a Marcelo Ramos, candidato a vice na chapa de Eduardo Braga, por diretores da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro
Versão para impressão

A poucos dias do primeiro turno de novas eleições no Amazonas, a Foirn (Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro) recebeu a visita de Marcelo Ramos (PR), candidato a vice na chapa do senador e ex-governador do estado, Eduardo Braga (PMDB). A eleição, suplementar foi convocada depois que o governador eleito em 2014, José Melo, foi cassado. A votação será em 6/8 e o segundo turno, se houver, está previsto para 27/8.

Ramos esteve em São Gabriel da Cachoeira nesta quinta-feira (20/07) para fazer comício na reta final das eleições. Eduardo Braga, o candidato a governador, deveria ter vindo também mas por motivo de saúde cancelou sua participação no comício. Acompanhado de apoiadores como a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB/AM), Ramos discursou no Areal, um dos bairros mais populares de São Gabriel e depois seguiu para reunião na sede da Foirn, por volta das 21 horas. A coligação de Ramos e Eduardo Braga, chamada de “União para tirar o Amazonas da UTI”, é formada pelo PR, PMDB, Solidariedade, PCdoB e PTB.



O vice-presidente da Foirn, Nildo Fontes, entregou ao candidato uma carta solicitando mais diálogo do governo estadual com o movimento indígena. Ele também encaminhou documentos de referência para a Foirn, como o PRDIS (Programa Regional de Desenvolvimento Indígena Sustentável), dados preliminares do Plano de Gestão Ambiental e Territorial do Rio Negro (PGTA) e as recentes propostas da Federação para o Plano Plurianual (PPA) municipal.

“A Foirn nos últimos anos tem manifestado uma série de documentos junto aos poderes públicos (municipais, estaduais e federais) apontando a necessidade imediata de ações e providências para garantir os direitos, benefícios e melhorias. Atualmente, as ações dos governos não alcançam as metas previstas e a população que vive nas Terras Indígenas demanda por direitos básicos: saúde, educação, saneamento, energia, patrimônio cultural, programas de geração de renda, entre outros, que estão atrelados à demanda de gestão territorial e ambiental das Terras Indígenas”, diz a carta.



Marcelo Ramos comprometeu-se a manter um “canal permanente de diálogo com o movimento indígena do Rio Negro” e lembrou do histórico positivo de Eduardo Braga com os índios da região. “A secretaria estadual dos Povos Indígenas foi criada pelo Eduardo quando ele era governador do estado e depois foi extinta pelo novo governo. Queremos resgatar essa secretaria para termos novamente um aumento de políticas públicas voltadas para as populações indígenas do Amazonas”, afirmou.

As eleições suplementares no Amazonas

Eleito para o seu segundo mandato como governador em 2014, José Melo (PROS) foi cassado por compra de votos, após longa batalha judicial que foi decidida pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O ex-governador alega que sofreu perseguição política e econômica, tentando todos os recursos possíveis para terminar seu mandato. Eduardo Braga, ex-governador e atual senador pelo estado, foi o segundo colocado na disputa na ocasião, com 45% dos votos.

Oito candidatos concorrem ao cargo de governador do estado cujo mandato terá apenas 15 meses de duração. De acordo com pesquisa publicada hoje (21/07) pela grande mídia amazonense, Eduardo Braga está em segundo lugar na disputa, com 23,49% das intenções de voto, enquanto Amazonino Mendes (PDT) lidera com 30,17%. Vale lembrar que Amazonino também já foi governador do Amazonas em dois períodos e prefeito de Manaus três vezes.

Juliana Radler
ISA
Imagens: 

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.