Ibama multa consórcio de Belo Monte por compra de madeira irregular

Esta notícia está associada ao Programa: 
Agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) multaram o Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM) em R$ 250 mil por receber madeira irregular no Complexo da Hidrelétrica de Belo Monte, no município de Altamira, no Pará. A irregularidade foi constatada durante operação do órgão realizada de 13 a 21 de agosto no local
Versão para impressão

Agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) multaram o Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM) em R$ 250 mil por receber madeira irregular no Complexo da Hidrelétrica de Belo Monte, no município de Altamira, no Pará. A irregularidade foi constatada durante operação do órgão realizada de 13 a 21 de agosto no local.

Desde 2013, o ISA alerta para a relação entre o aumento da extração ilegal de madeira em Terras Indígenas e Unidades de Conservação e a implantação de Belo Monte. No caso mais grave, na Terra Indígena Cachoeira Seca, do povo Arara, calcula-se que uma fila de caminhões carregados entre as cidades de São Paulo e Belo Horizonte foi extraída de madeira, somente em 2014, totalizando R$ 200 milhões em venda ilegal de madeira escoadas em mais de 700 km de estradas ilegais.

Confira a reportagem da EBC

EBC

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.