Indígenas protestam no Congresso contra a PEC 215 e Eduardo Cunha

Esta notícia está associada ao Programa: 
Manifestantes participam da Conferência Nacional de Política Indigenista e aproveitaram o momento para unir forças contra ataques a direitos indígenas no Congresso
Versão para impressão

Manifestação na manhã de hoje (16/12) reuniu cerca de 1,6 mil indígenas no Congresso. Os manifestantes ocuparam por duas horas a plataforma superior do Congresso, onde gritos de “Não à PEC 215!”, “Fora Cunha!” e “Demarcação Já!” dividiram espaço com cantos e danças tradicionais. Os indígenas de todo o país estão em Brasília para participar da 1ª Conferência Nacional de Política Indigenista (veja vídeo e galeria de fotos no fim da reportagem).

“O objetivo principal [do ato] é pedir o arquivamento da PEC 215. O outro é fazer o grito contra o Cunha”, explicou Maximiliano Menezes Tukano, da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab). A PEC 215 busca repassar a atribuição de dar a última palavra sobre os limites das Terras Indígenas (TIs) ao Congresso. Hoje, essa atribuição é do poder executivo federal. A proposta é vista pelos ruralistas como forma de paralisar definitivamente as demarcações.

Winty Suyá, presidente da Associação Indígena Kisedje, acrescenta que, entre os objetivos da manifestação, os indígenas foram “mais uma vez, pedir a demarcação [de TIs]”. O cacique Babau Tupinambá, liderança indígena da Bahia, expressou a indignação dos indígenas: “Nós estamos dando uma chance de eles [parlamentares] arquivarem essa PEC, antes de ter um problema sério aqui em Brasília conosco, povos indígenas”.

Após a ocupação da plataforma superior, os indígenas desceram a rampa se reuniram no gramado em frente ao prédio, sob vigilância dos policiais, exibindo faixas e cartazes. Depois, os manifestantes voltaram ao local onde está acontecendo a conferência.

No fim da manifestação, o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) reuniu-se com os indígenas. “Vários projetos aqui que podem ser resumidos nessa nefasta, sombria, errada, venal PEC 215 revelam o seguinte: tem um Brasil do poder, do dinheiro, esse Brasil das elites quer destruir o que há de mais bonito e genuíno no Brasil real. É muito bom que vocês venham aqui”, disse Alencar. “Nós sabemos que o grito que vocês trouxeram aqui para o entorno da Câmara dos Deputados é um grito que vai ecoar lá dentro, sem dúvida”, completou.

Discurso de Dilma é alvo de críticas

O discurso feito ontem à noite pela presidente Dilma Rousseff na Conferência foi recebido com crítica por parte dos indígenas (saiba mais).

“A presidente ontem não apresentou nenhuma novidade para nós. Ela tem que comprovar o que ela disse com atos concretos. Para nós continua a dúvida e a incerteza de que isso vai ser cumprido”, afirma Sônia Guajajara, Coordenadora Executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib).

Ontem a presidente foi ovacionada pelos participantes da Conferência. Sônia diz não entender o motivo de tantos aplausos e gritos de apoio. “Creio que os aplausos de ontem não representam a satisfação dos povos indígenas, porque nós continuamos aguardando uma atitude concreta, para nós o discurso não basta mais”, afirmou.

Maximiliano Menezes explica que gostaria que a presidente tivesse se manifestado sobre medidas do governo que atentam contra os direitos indígenas. “Ela não tratou da questão da mineração em Terras Indígenas, não falou da Medida Provisória que autoriza a construção de hidrelétricas nas Terras Indígenas. Ela não citou diversas coisas realmente possíveis de ser aplicadas em Terras Indígenas”.

Indígenas ocupam cúpula do Congresso Nacional

Contra PEC 215 e ataques ruralistas, mais de 1000 indígenas de todas as regiões do Brasil ocuparam a cúpula da Câmara dos Deputados nesta manhã.Entre gritos de "Fora Cunha", "Não a PEC 215" e diversos cantos e rituais tradicionais dos mais de 100 povos que estavam representados no protesto, os indígenas circularam a cúpula da Câmara, cantando, e depois desceram a rampa do Congresso em direção ao gramado.Quando a maioria já estava na parte gramada, um grupo de indígenas sobre a rampa foi atingido por gás de pimenta, fazendo com que vários indígenas escondessem o rosto para se proteger do cheiro asfixiante.Os indígenas manifestavam-se contra as iniciativas do Congresso Federal que visam retirar os seus direitos para atender aos interesses do agronegócio, das mineradoras e outros grupos econômicos poderosos, como é o caso da PEC 215, que pode inviabilizar as demarcações de terras e colocar sob risco de intervenção as terras já demarcadas, e da CPI da Funai, que busca deslegitimar o órgão governamental responsável pelas demarcações.

Posted by Conselho Indigenista Missionário Cimi on Quarta, 16 de dezembro de 2015

Victor Pires
ISA
Imagens: 

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.