ISA lança mapa com pressões e ameaças sobre Unidades de Conservação na Amazônia Brasileira

Esta notícia está associada ao Programa: 
A publicação “Unidades de Conservação na Amazônia Brasileira: Pressões e Ameaças 2015” será lançada durante o Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação que se realiza em Curitiba (PR), nesta semana ( 21 a 25 de setembro)
Versão para impressão

O mapa faz uma análise detalhada das atuais pressões e potenciais ameaças em Unidades de Conservação (UCs) decorrentes da exploração de recursos naturais e da implantação de obras de infraestrutura e também traz informações sobre a gestão das Unidades de Conservação(UCs) estaduais e federais da Amazônia. Está disponível para download gratuito aqui. Além do lançamento do mapa, o ISA montou um estande no Congresso para expor suas publicações e produtos.

As UCs foram agrupadas em seis classes, foram analisados seis temas: mineração; petróleo e gás; trechos rodoviários e ferrovias; usinas hidrelétricas; pequenas centrais hidrelétricas e desmatamento/antropização.

A publicação revela o quanto as políticas para a Amazônia ainda se pautam pelo desenvolvimentismo, em vez de priorizar a conservação e a efetiva implementação de UCs – áreas importantes para a redução do desmatamento, o combate às mudanças climáticas e a promoção da justiça socioambiental para com as comunidades tradicionais.

Para se ter uma ideia, o mapa mostra que 61% do total das UCs federais e estaduais da Amazônia têm incidência de processos minerários, em diferentes fases, e que 57% delas têm trechos rodoviários em seu interior ou dentro de seus limites. Também foram identificadas 27 Usinas Hidrelétricas (UHE) e Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) em operação, em construção ou pĺanejadas que incidem diretamente em alguma dessas UCs.

O detalhamento dos dados e sua representação cartográfica podem ser vistos no site 'Unidades de Conservação no Brasil' (http://uc.socioambiental.org/), do ISA.

ISA
Imagens: 
Arquivos: 
AnexoTamanho
PDF icon mapa_09set.pdf1.49 MB

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.