Jovens do Vale do Ribeira celebram Dia do Meio Ambiente compartilhando projetos comunitários

Esta notícia está associada ao Programa: 
Eles participaram da formação de agentes socioambientais e vão contar ao grupo, neste sábado, 4/6, como fizeram para implementar os doze projetos que elaboraram durante o processo
Versão para impressão

Neste sábado, 4/6, aproveitando as comemorações ao Dia Mundial do Meio Ambiente, os 67 jovens que concluíram a formação de agentes socioambientais (FAS) se reunirão no Quilombo Ivaporunduva, em Eldorado, no Vale do Ribeira (SP), para compartilhar a execução de 12 projetos comunitários elaborados e implementados por eles e a divulgação de cinco campanhas educativas.

O projeto que o Instituto Socioambiental realizou a partir de 2014, denominado “Formação de agentes socioambientais de educação ambiental na agricultura familiar e implementação de projetos comunitários de educação ambiental” (FAS), incluiu aprendizagem social, construção e elaboração de projetos e campanhas socioambientais para 150 jovens entre 16 e 29 anos, de comunidades rurais do Vale do Ribeira. São quilombolas, indígenas, caiçaras, assentados e agricultores familiares, que foram divididos em cinco turmas com representantes dos municípios de Apiaí, Barra do Chapéu, Barra do Turvo, Cajati, Cananeia, Eldorado, Ilha Comprida, Iporanga, Pariquera-açu, Registro, Ribeira e Sete Barras, além dos paranaenses Bocaiúva do Sul e Paranaguá. O objetivo foi contribuir para a formação educacional e política de agentes locais que promovam o desenvolvimento socioambiental do Vale do Ribeira (SP/PR).

Cinco conceitos para empoderar a juventude

Ao longo de dez meses eles discutiram temas como identidade local, valorização da agricultura familiar, acesso às políticas públicas voltadas ao campo, produção, comercialização e juventude, gestão territorial, manejo agroflorestal, biodiversidade e legislação. A abordagem escolhida foi inspirada em princípios pedagógicos de Paulo Freire e na bibliografia de Marcos Sorrentino, que compartilhou com os agentes, durante o último módulo da formação, os cinco conceitos para o empoderamento da juventude. São eles: o diálogo (saber ouvir e saber comunicar); a identidade (sentimento de pertencer a algum lugar); a comunidade (acolhimento, apoio mútuo); a potência de agir (poder de transformar o mundo) e a felicidade (resultado da somatória dos quatro conceitos anteriores).

Desde o início da formação, os jovens tiveram que envolver suas comunidades de origem no processo, elaborando uma proposta de projeto comunitário a partir da identificação de uma demanda local. Foram escritos 31 projetos sobre temas relacionados à agricultura familiar e educação ambiental. Desses, doze foram selecionados para receber recursos financeiros e suporte técnico para sua execução.


Foram contempladas ações como restauração de áreas, hortas orgânicas, implantação de fossas sépticas, construção de cisternas, oficinas de artesanato com fibras naturais e materiais reutilizáveis, criação de galinhas, valorização da culinária regional, conservação de sementes agrícolas, entre outros. Dez jovens desempenharam a função de monitores dos projetos, em duplas, para o acompanhamento e apoio às atividades, e como aprendizado para sua formação.

Além disso, foram criadas cinco campanhas educativas, abordando temas escolhidos por cada uma das turmas, e que se relacionavam com desafios comuns em cada região. Cada turma desenvolveu o conteúdo e criou um folder pensando na melhor linguagem para atingir o público escolhido. Assim, a turma de Iguape desenvolveu o tema “Não deixe o mangue morrer”, mostrando sua riqueza e importância; a turma da Barra do Turvo criou a campanha “Produção agroecológica: em busca de um mundo sustentável”, divulgando o assunto; os jovens de Registro escolheram o público infantil para abordar o tema “Rios, vamos conservá-los limpos!”; em Eldorado, a campanha “Chega de agrotóxicos!” tratou do uso de químicos na agricultura; a turma de Apiaí desenvolveu a campanha “Plante sua Comida!”.

O processo de formação é apoiado pelo Fundo Nacional do Meio Ambiente (FNMA/MMA), Goldman Environmental Foundation (GEF) e Jewish Community Federation (JCF). São parceiros na implementação do projeto o Centro Integrado de Estudos Multidisciplinares (CIEM/CPRM), Fundação Florestal, Funai, Itesp, ICMBio, Prefeitura Municipal de Registro, associações e cooperativas de agricultores familiares.

Saiba mais sobre a formação, os projetos comunitários implementados e as campanhas.

SERVIÇO

Evento: Encontro final da Formação de Agentes Socioambientais (FAS)
Local: Quilombo Ivaporunduva, Eldorado-SP
Data: 04/06/2016, das 9h às 16h
Mais informações: (13) 3871.1545 / (13) 3871.1697 ou ivy@socioambiental.org

Ivy Wiens
ISA
Imagens: 

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.