Mostra ISA 25 anos de cinema exibe olhar e vozes dos povos indígenas no Brasil

Evento é parte das comemorações dos 25 anos do Instituto Socioambiental (ISA) e reúne, em São Paulo, oito filmes, sendo dois inéditos, sobre a crise ambiental e a resistência dos povos da floresta
Versão para impressão

Em julho, entre os dias 10 e 23, a Unibes Cultural, em São Paulo, recebe a Mostra ISA 25 anos de Cinema Socioambiental. O evento faz parte das comemorações dos 25 anos do Instituto Socioambiental (ISA) e vai apresentar filmes feitos nos últimos anos sobre os povos indígenas e também por alguns cineastas indígenas.

São oito filmes produzidos pelo ISA e seus parceiros. Dois deles inéditos – um sobre as mulheres Ikpeng, coletoras de sementes no Território Indígena do Xingu e, o outro, sobre índios isolados da Terra Indígena Araribóia (MA), sob crescente ameaça. Entre os demais filmes - todos recém-lançados, e abordando temas como energia para comunidades isoladas na Amazônia, mudanças climáticas, territórios sagrados, desmatamento e obras de infraestrutura - muitos serão exibidos pela primeira vez em tela de cinema - gratuitamente. Eles denunciam os riscos e ameaças aos quais os povos indígenas e comunidades tradicionais no Brasil estão expostos, ao mesmo tempo que mostram sua resistência em um mundo que caminha para o colapso. (Veja no final do texto a sinopse dos filmes).

A proteção territorial, a percepção das mudanças climáticas, a busca por alternativas sustentáveis estão no centro do debate, que se faz ainda mais urgente no atual cenário político do Brasil, com o agravamento dos conflitos socioambientais, maior pressão sobre os territórios das populações indígenas e tradicionais, além de perseguições ao trabalho das organizações da sociedade civil e do próprio ativismo.
Em 2019, o ISA completa 25 anos de atuação como aliado histórico dos povos da floresta. E aproveita a oportunidade para reforçar junto ao público a urgência em defender o patrimônio ambiental do país e de seus povos tradicionais, além de fortalecer o movimento de resistência contra as ameaças, violências e retrocessos em curso no Brasil hoje.

Confira a programação

10/7 – 20h
O Amanhã é hoje
Quentura

13/07 – 20h

Para onde foram as andorinhas?

Floresta Iluminada

14/7 – 17h
Yarang Mamin: Movimento das Mulheres Yarang [ INÉDITO ]
O Jabuti e a Anta

19/7 – 20h

Pelas Águas do Rio de Leite

23/7- 20h
Ka’a zar ukyze wà - Os donos da floresta em perigo [ INÉDITO ]

Leia as sinopses e assista aos trailers dos filmes

O Amanhã é hoje
O filme conta histórias de pessoas afetadas pelas mudanças climáticas no Brasil - e mostra que a preservação da floresta amazônica é fundamental para o futuro de todos.
Coordenação e produção executiva: Thaís Lazzeri
2019
Veja o trailer.

Quentura
Documentário que mostra as percepções e experiências que mulheres indígenas do Alto Rio Negro e de Roraima estão vivendo em função das mudanças no clima, que afeta suas roças, sua alimentação e seu modo de vida na floresta.
Direção:Mari Corrêa
2018
Veja o trailer.

Para onde foram as andorinhas?
O clima está mudando, o calor aumentando. Os índios do Xingu observam os sinais que estão por toda parte. Árvores não florescem mais, o fogo se alastra queimando a floresta, cigarras não cantam mais anunciando a chuva porque o calor cozinhou seus ovos. Os frutos da roça estão se estragando antes de crescer. Ao olhar os efeitos devastadores dessas mudanças, eles se perguntam como será o futuro de seus netos.
Direção: Mari Corrêa
2015
Assista ao trailer.

Floresta Iluminada
“Floresta Iluminada - energia limpa para os povos da Amazônia", websérie de três episódios, viaja por territórios amazônicos que estão superando a necessidade de energia elétrica, enfrentando a dependência do caro e poluente diesel e aproveitando as oportunidades de serem abastecidas por energia limpa alternativa. Alguns exemplos: no Território Indígena do Xingu (MT), a solarização de 65 aldeias; na Terra Indígena Raposa-Serra do Sol (RR), o primeiro projeto de geração de energia eólica em uma Terra Indígena no Brasil
Direção: Fernanda Ligabue
2019
Veja o trailer.


Yarang Mamin: Movimento das Mulheres Yarang

O Movimento das Mulheres Yarang, composto por mulheres do povo Ikpeng, no Território Indígena do Xingu (MT), completa em 2019 dez anos. Elas trabalham como formigas, sempre juntas, coletando e beneficiando sementes para reflorestar as nascentes da bacia do rio Xingu.
Direção: Kamatxï Ikpeng
2019

O Jabuti e a Anta
A seca em São Paulo é o ponto de partida da viagem. Inquieta com as imagens dos reservatórios vazios no sudeste do Brasil, uma documentarista busca entender estas obras faraônicas, agora construídas no meio da floresta Amazônica. Entre os rios Xingu, Tapajós e Ene, ecoam vozes de ribeirinhos, pescadores e povos indígenas, atropelados pela chegada do chamado desenvolvimento. Um “boat movie” e uma reflexão sobre os impactos de nossos estilos de vida.
Direção: Elisa Capai
2016
Assista ao trailer.

Pelas Águas do Rio de Leite
Resultado de duas expedições pelos rios Negro e Uaupés, o vídeo-documentário registra a visita de conhecedores de etnias da família linguística tukano oriental a lugares sagrados que remetem às narrativas de origem e de transformação do mundo e da humanidade. Os participantes das expedições percorreram um extenso território, parando em lugares associados aos conhecimentos e às práticas de seus ancestrais do noroeste amazônico.
Direção: Aline Scolfaro
2018
Assista ao trailer.

Ka’a zar ukyze wà - Os donos da floresta em perigo
A Terra Indígena Araribóia (MA) é uma das mais ameaçadas da Amazônia. É o território do povo Guajajara e também de um grupo de índios isolados, os Awá Guajá. O filme é um alerta e pedido de socorro dos Guajajara pela proteção das florestas e de seus parentes Awá Guajá, um dos últimos povos caçadores e coletores do mundo, cujo modo de vida depende essencialmente da floresta e, se a destruição continuar, está com os dias contados.
Direção: Flay, Edivan e Erisvan Guajajara
2019

Sobre o ISA

O Instituto Socioambiental (ISA) é uma associação civil, sem fins lucrativos, qualificada como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip), fundada em 22 de abril de 1994, por pessoas com formação e experiência marcante na luta por direitos sociais e ambientais. Com sede em São Paulo (SP), possui subsedes em Brasília (DF), Manaus (AM), Boa Vista (RR), São Gabriel da Cachoeira (AM), Canarana (MT), Eldorado (SP) e Altamira (PA). O ISA tem como missão institucional defender bens e direitos sociais, coletivos e difusos, relativos ao meio ambiente, ao patrimônio cultural, aos direitos humanos e dos povos. Produz estudos, pesquisas, projetos e programas que promovam a sustentabilidade socioambiental, divulgando a diversidade cultural e biológica do país.

Contato para a imprensa
Inês Zanchetta: (11) 99251 8152 ines@socioambiental.org

ISA
Imagens: 

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.