O adeus à Sylvia Monteiro

A morte precoce da designer e editora de arte, que colaborou ativamente com o ISA ao longo de quase 20 anos, deixou enorme tristeza em todos os que com ela trabalharam
Versão para impressão




Foi no domingo, 13/11, no meio de um feriado prolongado em São Paulo que Sylvia Monteiro se foi. Olhos claros, fala meiga, tranquila, Sylvia fez projetos gráficos para várias publicações do ISA, especialmente as produzidas pela equipe do Programa Rio Negro. Entre elas destacam-se Manejo do Mundo, Prêmio Jabuti 2011, Rotas de Transformação, Educação Escolar Indígena no Rio Negro, os livros de bolso Banco Tukano e Arte Baniwa e recentemente Ciclos Tiquié e o livreto Pimenta Jiquitaia. Também são de sua autoria os projetos gráficos do Almanaque Brasil Socioambiental, Povos Indígenas no Brasil Mirim e revista ISA 10 anos.

“Tive o imenso prazer de trabalhar com a Sylvia em vários projetos editoriais do ISA e tornei-me seu admirador pelas soluções simples e inovadoras, além da convivência agradável”, afirmou Beto Ricardo, coordenador do Programa Rio Negro.

Formada em Comunicação Visual e com especializações em renomadas instituições como a New York University e a Stanford University, Sylvia trabalhou em algumas das principais empresas do mercado editorial brasileiro e internacional, como Abril, Hachette, Burda e El Clarín. Foi editora de arte das revistas Veja, Elle Alemanha e Elle Brasil, e capista da Carta Capital. Criou os projetos gráficos do suplemento Veja São Paulo e da revista Exame VIP e atuou como consultora em direção de arte das revistas Claudia Argentina e das edições de Elle do Chile, da Argentina e de Portugal.

ISA
Imagens: 

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.