Relatório sobre violações dos direitos humanos a água e saneamento em SP será lançado nesta terça

Resultado de uma colaboração entre a Aliança pela Água e o Coletivo de Luta pela Água, redes que juntas reúnem mais de 150 ONGs, especialistas e movimentos sociais, o relatório apresenta evidências da violação a Direitos Humanos reconhecidos pela Organização das Nações Unidas - ONU
Versão para impressão

.A Aliança Pela Água vai promover, na próxima terça-feira, 13 de outubro, das 9h30 às 11h30, no escritório do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), o lançamento do Relatório sobre Violações dos Direitos Humanos a Água e Saneamento no Estado de São Paulo.

Resultado de uma colaboração entre a Aliança pela Água e o Coletivo de Luta pela Água, redes que juntas reúnem mais de 150 ONGs, especialistas e movimentos sociais, o relatório apresenta evidências da violação a Direitos Humanos reconhecidos pela Organização das Nações Unidas - ONU.

A expectativa é que sejam adotadas providências para obtenção de informações oficiais e adoção de medidas possíveis, caso sejam confirmadas as violações. Este relatório foi motivado por reunião realizada por estas organizações com Leo Heller, Relator da ONU para os Direitos Humanos a Água e Saneamento, em abril de 2015. O relator participará do evento.

O Relatório está estruturado da seguinte forma:
1. Quadro normativo internacional;
2. Indícios de violação de direitos humanos;
3. Responsabilidades.

Serviço

Lançamento - Relatório sobre Violações dos Direitos Humanos à Água e Saneamento no Estado de São Paulo
Data: Terça-feira, 13 de outubro de 2015
Onde: Escritório do Idec, na Rua Desembargador Guimarães, 21 - Água Branca, São Paulo

O aplicativo Tá Faltando água está na página do facebook da Aliança pela Água, disponível para ser baixado.

(Com informações da Aliança pela Água)
ISA

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.