Trabalhadores interromperam obras em Belo Monte nesta quarta-feira

Esta notícia está associada ao Programa: 
A paralisação foi motivada pelo anúncio da demissão de 100 trabalhadores e da mudança do local dos pagamentos dos salários
Versão para impressão

As atividades do sítio Pimental, onde está sendo construída a Casa de Força Complementar da UHE de Belo Monte, no Rio Xingu (PA) foram paralisadas nesta quarta-feira, 18/9. A assessoria de imprensa do Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM) confirmou a paralisação de 6 mil trabalhadores que atuam no sítio Pimental.

Por volta das 8h da manhã trabalhadores iniciaram uma barricada impedindo a entrada dos ônibus que chegavam ao canteiro. A Polícia Militar (PM) de Altamira (PA) informou que vários ônibus foram depredados e que a confusão foi contida depois da interferência da Força Nacional. O comando de policiamento regional informou que 90 homens da Força Nacional atuam em três pontos centrais dos canteiros. A assessoria do CCBM informou que os trabalhos no sítio Pimental deveriam voltar ao normal ainda hoje.

De acordo com a PM, a confusão ocorreu depois do anúncio da demissão de 100 trabalhadores e da mudança no local do pagamento. O CCBM confirmou que pretende transferir o local do pagamento para os postos de atendimento da Caixa Econômica, que ficam nos canteiros de obras, para melhorar a segurança dos trabalhadores e evitar filas na sede do departamento de Recursos Humanos do CCBM, em Altamira.

Esta foi a segunda paralisação nos canteiros de obras esta semana. Na manhã da última segunda-feira (16/9), índios Juruna e Parakanã bloquearam o acesso ao sítio Pimental, de onde só saíram para participar de uma reunião com o governo em Brasília Saiba mais.

Desde que as obras foram iniciadas em junho de 2011, as paralisações já somam mais de 100 dias.

(Com informações da PM de Altamira e assessoria de imprensa do CCBM)

ISA
Imagens: 

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.