Yanomami e Ye’kwana do Brasil e da Venezuela criam Fórum para debater questões que os afetam

Esta notícia está associada ao Programa: 
O II Encontro Binacional Yanomami Ye’kwana teve como tema "Komi yamakini urihi yama a noamai - Juntos protegendo a floresta". Os debates se concentraram em questões cruciais para os indígenas e foi criado um fórum permanente de discussão
Versão para impressão

A segunda edição do encontro binacional, realizada entre 28 de outubro de 2 de novembro, no lago Caracaranã, na TI Raposa-Serra do Sol (RR) reuniu pela primeira vez 60 representantes de nove associações indígenas dos Yanomami e Ye’kwana e seis organizações da sociedade civil parceiras. As discussões foram realizadas nas oito línguas indígenas ali representadas (5 línguas yanomami, ye’kwana, português e espanhol) e abordaram temas centrais para esses povos como Gestão Territorial, Saúde, Juventude e Direitos da Mulher.

Daí resultaram propostas para ações conjuntas das organizações indígenas e parceiros, visando fortalecer a governança desses povos sobre seus territórios e influenciar as políticas públicas do Brasil e da Venezuela. Todas as recomendações e propostas foram sistematizadas e estão expressas na Carta do Lago Caracaranã, aprovada no último dia do encontro (leia a carta aqui). A criação do Fórum Permanente Binacional Yanomami Ye’kwana será o espaço para a construção de propostas e de ações conjuntas. A Carta do Lago Caracaranã servirá como um instrumento de diálogo das organizações indígenas com as instituições governamentais de ambos os países.

Para se ter uma ideia do potencial do Fórum recém-criado, as associações que o compõem representam comunidades Yanomami e Ye’kwana que ocupam um território de aproximadamente 23 milhões de hectares de floresta contínua, situada em ambos os lados da fronteira, onde vivem mais de 40 mil indígenas. Apesar de seu território apresentar elevado grau de conservação da floresta, esses povos enfrentam problemas comuns aos dois países como, por exemplo, o garimpo ilegal, a ameaça crescente de projetos de mineração e a dificuldade no atendimento à saúde das comunidades mais distantes.

Durante o encontro foi apresentada e revisada a primeira versão do mapa Território e Comunidades Yanomami Brasil-Venezuela, uma publicação inédita com lançamento previsto até o final do ano. As organizações participantes reforçaram a importância do mapa para subsidiar ações dos órgãos governamentais que atuam na região, na construção do Plano de Gestão Territorial e Ambiental dos Yanomami e Ye’kwana e para dar visibilidade à sua luta que visa garantir a proteção de seu território e o respeito às suas especificidades culturais.

Em uma das noites uma festa foi organizada para comemorar os 10 anos de fundação da Hutukara com apresentação de cantos e danças tradicionais. E ainda durante o encontro houve o lançamento do livro Xapiri thëã oni - Palavras escritas sobre os xamãs Yanomami, com direito a noite de autógrafos.

Organizações indígenas e parceiros

Associações Indígenas Participantes
Hutukara Associação Yanomami
Horonami Organización Yanomami
Associação do Povo Ye’kwana do Brasil
Asociación Kuyujani Originario
Organización Indígena de la Cuenca del Caura Kuyujani
Asociación Ye’kwana del Alto Ventuari Kuyunu
Associação Yanomami do Rio Cauaburis e seus Afluentes
Texoli Associação Ninam do Estado de Roraima – Taner
Kurikama Associação Yanomami
Povo Xiriana de Venezuela de Alto Paragua
Universidad Indígena de Venezuela


Organizações parceiras

Grupo de Trabajo Socioambiental de la Amazonía – Wataniba
Instituto Socioambiental – ISA
Serviço e Cooperação com o Povo Yanomami – Secoya
Diocese de Roraima

Moreno Saraiva Martins
ISA
Imagens: 
Arquivos: 
AnexoTamanho
PDF icon carta_caracarana.pdf167.79 KB

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.