Comunidades da Terra do Meio instalam sistema de rádio inovador no Pará

Esta notícia está associada ao Programa: 
Parceria entre beiradeiros e Associação Brasileira do Rádio Digital (ABRADIG) leva o primeiro sistema de comunicação digital para a região
Versão para impressão

Agora as comunidades beiradeiras das Reservas Extrativistas (Resex) da Terra do Meio, no Pará, podem enviar documentos pelo rádio. Com a instalação de um sistema inovador de transmissão de dados digitais é possível estabelecer conexões seguras para envio de textos e fotos por centenas de quilômetros, em uma região onde o rádio é um dos principais meios de comunicação.

Entre outubro e novembro sete estações de rádio digital foram instaladas ou aprimoradas nas Resex Rio Iriri e Riozinho do Anfrísio em espaços de uso coletivo, como as cantinas e postos de saúde. A escolha dos locais de instalação considerou a presença de lideranças mulheres, como na mini usina do Rio Novo, coordenada por Raimunda Rodrigues, e a cantina do São Francisco, sob a gestão de Laura Mendes e Patrícia Silva.


Com mais de cinquenta rádios que operam na banda de Ondas Curtas espalhados na região da Terra do Meio e acesso restrito à internet, esse sistema, em fase de implantação, será um importante instrumento para o monitoramento do território, diálogo entre as cantinas e agilidade na comunicação relativa à saúde e à educação. “São várias as possibilidades de uso do sistema. A inovação é inspiradora, com apoio de outros parceiros, vamos buscar recursos para ampliar essa tecnologia para outras comunidades da Terra do Meio”, comentou Nando Lima, assessor das Associações.



Em boas condições de propagação é possível enviar um arquivo de texto em quatro minutos, e uma foto em 15 minutos, com criptografia. O sistema é operado via navegador de internet, em qualquer smartphone ou computador, por meio do acesso à uma conexão wifi gerada pelo próprio aparelho que faz a transmissão digital pelo rádio.

A interface vem sendo desenvolvida pela equipe da Associação Brasileira do Rádio Digital (ABRADIG) com o objetivo de facilitar a comunicação dos povos da floresta. “A solução para comunicação digital via Ondas Curtas que estamos desenvolvendo é a única atualmente disponível para uso civil na Amazônia e utiliza o que há de melhor em termos de modulação e protocolo de rede para este tipo de sistema de telecomunicação”, afirmou Rafael Diniz, o principal arquiteto e desenvolvedor do sistema.

Todas as comunidades receberam treinamento para usar o aparelho e acompanharam a instalação e aprimoramento das estações, que engloba a instalação de antenas, placas solares, controladores de carga e baterias. A expectativa é expandir o sistema com mais três estações na Resex Rio Xingu no próximo ano.


Isabel Harari
ISA
Imagens: 

Comentários

O Instituto Socioambiental (ISA) estimula o debate e a troca de ideias. Os comentários aqui publicados são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião desta instituição. Mensagens consideradas ofensivas serão retiradas.